domingo, 26 de junho de 2011

Em cena: eu, Olga, me confesso...

Se há quatro meses me dissessem, que viria a fazer um curso de Teatro, podem ter a certeza que "juraria a pés juntos" que estava tudo louco! Mas como bem se sabe "elas caem-nos todas em cima" - elas, as coisas que "somos capazes de jurar" que "nem que a vaca tussa..."
Nããããã, também não era assim, só que nunca me imaginaria a pôr os pés do lado de dentro (já enquanto jornalista palmilhei "muitos bastidores"...).
A verdade é que as voltas da vida levaram-me à ACT-Escola de Actores para uma conversa fantástica com a Patrícia Vasconcelos e Elsa Valentim.
Passadas poucas semanas,"tungas"... lá estava eu a confrontar-me com os meus "mais de 45", num Curso de Iniciação ao Teatro onde se juntou um grupo dentro dessa faixa etária, com vontade de esgravatar nas coisas da vida. Desde Abril até agora, Marta Fernandes, jovem actriz e professora de Teatro, e outras seis aventureiras com "mais de 45" e as mais díspares profissões e experiências fizeram o favor de engrandecer os meus sábados e o meu universo interior - tão mais enriquecido, agora...
Mas acabou-se - por enquanto, pelo menos. Ontem, abrimos a última aula para mostrarmos a alguns dos nossos os exercícios que estavamos a fazer com textos retirados da "Avalanche" (Ana Bola) e de "As Três Irmãs" (Anton Tchekhov). Durante três dias fui Olga, a mais velha do trio moscovita do início do século passado, e tive a alegria de contracenar com a Joana, na pele de Irina, e a Isabel, como Macha. Que delícia!
Quero aqui deixar um imenso obrigada a todas, em particular à Marta, pela paciência, sabedoria, sensibilidade e entusiasmo, e às minhas "irmãs" Joana (com quem passei horas de grande empenho em empatia à roda do texto), e Isabel. Mas não esqueço a Rosário, a Myriam, a Carmo e a Zélia (cuja paixão pelo Teatro a fez viajar todos os fins de semana do Algarve para estas aulas).
Vai fazer-me falta ir a caminho da LX Factory ao sábado cedinho, para aprender retalhos dessa Arte maior. Diverti-me muito, muito, mesmo quando era mais difícil sair "dos meus espartilhos", ou até por isso, afinal.
Finalmente, quero agradecer acima de tudo a um dos meus maiores anjos da guarda que me guiou para este passo...

3 comentários:

  1. Rosario Valadas Vieira28 de junho de 2011 às 11:30

    Que bom, disseste tudo o que eu queria dizer e mais, muito mais. Adorei partilhar com "estranhas" coisas minhas que calava bem fundo há tantas luas e "reinar" aos teatros, mais uma paixão escondida.
    A todas um abraço gigante e até breve ;)
    Rosarinho

    ResponderEliminar
  2. Obrigada por tudo o que escreveste. Quem o poderia fazer melhor que tu? Está tudo dito. Foi isso mesmo que eu senti também. Diverti-me imenso e gostei muito de conhecer todas estas companheiras de aventura e a nossa paciente e simpática professora e partilhar experiências, alegrias e sentimentos (pufff... que difícil!!) que me enriqueceram. Acabei este workshop e, se não fosse por mais nada, já teria valido a pena não só por tudo o que fizémos, mas acima de tudo por mais esta lição de vida.
    Bem hajam e até um dia destes,
    Carmo

    ResponderEliminar
  3. Querida Mª Gabriel/Baléu!
    Hoje foi a 1ª vez q acedi ao teu blogue e q surpresa! Cá está o teu testemunho e não só em como todas partilhámos contigo a aventura do teatro! Foi mto giro, gostei imenso e sobretudo de vos conhecer e à Marta, nossa professora e é vocacionadíssima para leccionar, pois transmite-nos a todas a paixão por esta Arte. Temos de combinar um novo almoço ou jantar, certo? Aqui fica um bj de saudades para todas! E parabéns pelo teu empenho contínuo no Projecto do Gil. Já enviei o teu último email a amigos para a compra do azulejos. Tudo de bom! :-D Da ave canora, My

    ResponderEliminar